15.1.07

Que povo este...

Que esquece, entre outros: D. Sebastião, Alexandre Herculano, Camilo Castelo-Branco, Ramalho Ortigão, Mousinho de Albuquerque, Cotinelli Telmo (arquitecto), Raul Lino (arquitecto), Leopoldo de Almeida (escultor), Francisco Franco (escultor), Barata Feyo (escultor), Henrique Medina (pintor), Lima de Freitas (pintor), Vasco Santana (actor), António Silva (actor), Ribeirinho (actor), Duarte Pacheco (ministro das Obras Públicas de Salazar), Guilhermina Suggia (violoncelista), José Vianna da Motta (compositor), Frederico de Freitas (músico), Jorge Barradas (ceramista), D. Fernando, D. João III, D. Miguel I, o "Decepado", o "Remexido", Fernanda de Castro, António Ferro, Esther de Lemos, João Ameal, Amândio César, Tomaz de Figueiredo, Afonso Lopes Vieira, António Sardinha, Alfredo Pimenta, Teixeira de Pascoaes, Homem Cristo Filho, Pedro Homem de Mello, Franco Nogueira, Carlos Eduardo de Soveral, António José de Brito, Rodrigo Emílio, Couto Viana...
E escolhe para os 100 grandes portugueses(as): Adelaide Cabete (95.ª), Jorge Sampaio (80.º), Afonso Costa (73.º), Herman José (70.º), Otelo (68.º), Vasco Gonçalves (54.º), José Sócrates (48.º), Catarina Eufémia (46.ª), José Saramago (44.º), Maria Lourdes Pintassilgo (36.ª), Marcelo Caetano (31.º), Zeca Afonso (29.º), Humberto Delgado (28.º), Cavaco Silva (27.º), Francisco Sá Carneiro (16.º), Mário Soares (12.º), Salgueiro Maia (11.º) e entre os dez primeiros estão os figurões do Aristides Sousa Mendes e Álvaro Cunhal?!
Que povo este...
Vá lá que se lembraram de: Maria João Pires (100.ª), Fernão Mendes Pinto (88.º), Gil Vicente (83.º), Bocage (78.º), Gago Coutinho (75.º), Bartolomeu Dias (67.º), D. Afonso III (65.º), Almada Negreiros (53.º), Pedro Álvares Cabral (49.º), Carlos Paredes (47.º), D. Manuel I (43.º), Afonso de Albuquerque (42.º), D. João I (37.º), D. Dinis (24.º), Egas Moniz (23.º), Eça de Queiroz (22.º), D. Nuno Álvares Pereira (18.º), Amália (14.ª) e no top ten: D. Afonso Henriques, Camões, D. João II, Infante D. Henrique, Vasco da Gama, Fernando Pessoa e Salazar.

6 comentários:

Anónimo disse...

É, e agora vais apanhar com o aristides nas bbbentas!
A mentira continua e em força.

Fuas Roupinho disse...

Pelos vistos, vamos levar com a farsa do Aristides que passava passaportes a judeus - a torto e a direito - para receber a massa e pagar as dívidas do jogo.

fa disse...

Quem vai "defender" o Aristides de Sousa Mendes, o vendedor de Vistos a 500$00, é o Jansenista!

nonas disse...

Está enganado o FA. Quem vai defender a "honra" do Sousa Mendes é um ex-nacional-revolucionário dos anos 70 de seu nome José Miguel Júdice. Esse mesmo, o ex-bastonário da Ordem dos Advogados e sócio do PSD.

fa disse...

Nonas, nós sabemos..., mas se o Jansenista sabe que dizem isto fica todo ufano!

É para rir...

Anónimo disse...

É por isso que eu tenho andado para aí a dizer – O sistema dá-nos um alvo fictício tipo Bloco de Esquerda e "a nossoa gente" vira logo para lá as armas e quem aprova aquilo que o BE deseja são gajos como esse ex-nacionalista-revolicionário e afins militantes do PS, PSD e PP

Legionário