16.1.08

Wolfgang Frohlich novamente preso!


O engenheiro químico austríaco Wolfgang Frohlich foi condenado pela justiça democrática a quatro anos de prisão por não acreditar no holocausto e assim condenado pela terceira vez à prisão.
O seu "crime" foi ter enviado cartas para membros do parlamento austríaco e para o Papa Benedito XVI, denunciando o Holocausto como uma "mentira Satânica”, referiu a agência de notícias APA.
Ora, caro sr. Wolfgang Frohlich, isso não se faz. Então, para além de não acreditar no holocausto, remete cartas para deputados do parlamento austríaco e para o Papa a incomodá-los?
Depois de
David Irving, Ernst Zündel, Robert Faurisson, Siegfried Verbeke, Sylvia Stolz, quem será o próximo?
Os autores revisionistas são vítimas da tão apregoada cantilena da igualdade, liberdade, fraternidade, dos direitos do homem, da liberdade de expressão.
Quem nega a fé e o dogma da nova religião é blasfemo!

1 comentário:

Flávio Gonçalves disse...

Conheci-o em Teerão e, mea culpa, nunca lhe escrevi apesar de ter feito questão de me dar o seu contacto postal (não utiliza telemóvel nem e-mails, na altura informou-me que são meios preferenciais de controlo por parte dos Estados "democráticos").

O tempo corre, um ano depois noto que só escrevi a duas ou três pessoas das dezenas que conheci em Teerão, fui adiando, adiando, e já se passou uma ano.