6.1.08

After the Reich: um livro sobre os crimes aliados


"Os cruéis ocupantes aliados" é um trabalho assinado por Patricia Meehan e publicado no caderno P2 do "Público", de hoje, sobre o livro After the III Reich, a ser editado em Inglaterra no próximo mês.

"Giles MacDonogh quis mostrar a vivência dos alemães na derrota. E conseguiu. Mas também atraiu novas atenções para os actos questionáveis da Grã-Bretanha e dos Estados Unidos durante a ocupação. Execuções encenadas (ou não), espancamentos, violações, milhares de militares e civis transportados em camiões de gado ou mortos à fome e ao frio. A Segunda Guerra Mundial vista do outro lado."

«Mesmo antes da capitulação da Alemanha, comunidades inteiras de alemães que tinham vivido no exterior do Reich, muitas vezes durante gerações, foram desenraizados à força de armas; no total, entre 13 e 16 milhões de pessoas foram expulsas das suas casas.Roubados, espancados, esfomeados, velhos, mulheres e crianças foram forçadas a caminhar para ocidente ou a amontoar-se em veículos de transporte de gado nos quais por vezes gelavam até à morte. Um membro do Parlamento descreveu na Câmara dos Comuns as expulsões como "fazendo milhões de pessoas atravessar a Europa como um Belsen arrepiante". MacDonogh conduz o leitor ao longo destas terríveis deslocações, quase aldeia por aldeia, descrevendo uma medonha migração.»

«Na Primavera de 1945, cerca de 40.000 prisioneiros morreram à fome e ao frio nos 12 centros de detenção ao ar livre que os americanos haviam erguido para alojarem cerca de um milhão de homens. Os prisioneiros, escreve MacDonogh, "haviam sido empurrados para vastos recintos ao ar livre perto das margens do Reno descritas como "áreas de concentração" ou "PWTE - Recintos Temporários para Prisioneiros de Guerra"". Os americanos tinham-lhes queimado as roupas e por isso eles não tinham nada que os protegesse dos elementos. Abril e Maio de 1945 foram particularmente frios e chuvosos, e havia muita neve. Os soldados eram forçados a passar por isto em recintos abertos e sem tendas. MacDonogh escreve: "Muitos deles abriram covas no solo com uma colher ou uma lata ou o que tivessem à mão, mas, com a chuva constante, o terreno amolecia e todas as noites essas covas desabavam e as pessoas que aí tinham procurado abrigo ficavam soterradas. Não se passava uma noite sem que morressem homens nesses locais."»

Um documento sobre a "libertação" e a desnazificação na Alemanha feita pelos Ali(en)ados!

9 comentários:

Anónimo disse...

Verdadeiro serviço público.
Obrigado, Nonas e continue!

Anónimo disse...

O Nonas é como a Regisconta: aquela má...qui...na!

alentejano disse...

Para quando a publicação em portugues. Será que a canalha democrata deixa?

Euro-Ultramarino disse...

Obrigadíssimo, Caro Nonas, pela sugestão irrecusável de leitura. Nada como os métodos aplicados pelos "ali(en)ados" na defesa das tais liberdades e democracias. Ah!, já me esquecia: e dos direitos humanos, é claro.
Um abraço.

Victor Abreu disse...

Duvido que este livro alguma vez seja traduzido para português, mas pode ser encomendado na Amazon, que foi onde o comprei há pouco tempo. Recomendo vivamente.

Activista disse...

http://activismo-nacional.blogspot.com/2008/01/massimo-morsello-parte-ii.html

Ricardo Zenner disse...

Na verdade, ficamos cada vez mais com a certeza de que a capitulação da Alemanha significou o fim da Civilização Europeia, com a susequente imposição da barbárie demo-crática que hora vigora, para nosso mal.

Américo disse...

Nonas tal como conversámos, este livro está à venda na FNAC em formato hardcover. Recomendo vivamente a toda a gente a sua compra, pois apesar de ser algo ainda muito enquadrado, no registo histórico tradicional/oficial, permite começar a trazer a, verdade do que foi o pós guerra. Com o terrivel massacre intencional na Alemanha.
Falta agora continuar e mais profundamente com este tema, além de começar com a história da terrível e funesta perseguição aos vencidos (combatentes e não combatentes), nos seus países de origem.

Anónimo disse...

Com certeza os Aliados na 2a Guerra cometeram os mesmos crimes com os quais acusam os alemães.A diferença principal é que já haviam assinado o Fim das Hostilidades.Uma boa leitura,alias muitas coisa esta vindo à tona depois de mais de 60 anos de propaganda Aliada e Sionista.
Admiro a Alemanha e seu povo que mesmo privado de conhecer seu passado,pelas "leis" dos Aliados,ainda se transformou numa grande potencia do seculo XXI.