12.12.07

Declarações de Udo Voigt, líder do NPD

O líder do partido alemão NPD, Udo Voigt, declarou em entrevista ao canal de TV público ARD que: "O número de seis milhões de mortos não pode estar certo. No máximo, 340.000 pessoas morreram em Auschwitz. Os judeus sempre falam que mesmo que um único judeu tenha morrido, seria um crime porque ele era judeu. Há, porém, uma diferença entre pagar por seis milhões (de mortos) e por 340.000".
"Assim, a unicidade deste grande crime, ou suposto grande crime, já não existe mais", acrescentou Udo Voigt nesta entrevista concedida a jornalistas iranianos e transmitida pela ARD.
Voigt, também, exigiu a restituição "da Pomerânia, da Prússia ocidental, da Prússia oriental e da Silésia, pouco importa que seja Königsberg (Kaliningrad), Danzig (Gdansk) ou Breslau (Wroclaw)". "Todas essas cidades são alemãs, e exigimos a liberdade de exercer nossos direitos sobre elas", afirmou.

2 comentários:

FPM disse...

Se expressou essas opiniões agora é só aguardar para saber qual a pena de prisão que vai cumprir. Que isto de, em "democracia", ter-se opiniões que não agradam dá prisão.

Anónimo disse...

"Todas essas cidades são alemãs, e exigimos a liberdade de exercer nossos direitos sobre elas", afirmou."

Estamos no século XXI!!