3.12.08

Livro: Longe é a Lua de Rogéria Gillemans

Acabadinhas de chegar aos escaparates da Bertrand e da FNAC, decorridas duas semanas após o seu lançamento, estas memórias de Luanda, da ex-província ultramarina de Angola, pelo preço de 14€ e com 168 interessantes páginas das quais há destacar a Adenda da qual consta o Art.º 141 do Código Penal, o processo de que foram participantes, entre outros, o general Silvino Silvério Marques, o tenente-coronel Gilberto Santos e Castro, Rodrigo Emílio, Zarco Moniz Ferreira; as Leis 6/74 e 7/74 e uma extensa e completa "lista de desonra dos responsáveis e signatários da entrega das Províncias Ultramarinas".

3 comentários:

Armando Correia disse...

Comprei o livro, li e arrepiei-me emocionei-me até, lê-se uma imensa felicidade, a convivência entre as etnias de paz e trabalho, entre a terrífica guerra de morte de destruição e da grande coragem dos portugueses nas províncias do ultramar, primeiro o terrorismo internacional, levado para Angola pelos nossos “amigos” americanos e soviéticos, depois quando em Angola existia paz e progresso, a guerra levada pelos nossos “amigos” discípulos e coniventes dos soviéticos e americanos, na ânsia do poder, da destruição de Portugal e de todos os seus povos em seu benefício.
Este livro é um (documento histórico),
Tenho familiares de Angola, primos que nasceram no huambo Caala, nunca se falou sobre esta verdade dos acontecimentos, tudo que nós sabiamos era que os meus tios e primos fugiram só com a roupa que tinham vestida para o aeroporto de Luanda, o meu tio com a idade de 68 anos depois de uma vida inteira desde os 18 anos em Angola, dedicados ao trabalho tiveram que fuzir da guerra e da morte, provocada pelos traidores, o meu tio faleceu dois anos depois com um enfarte do miocárdio na pobreza sem casa e sem trabalho (a casa era a nossa)os responsáveis por estes crimes vivem como nababos à custa das vidas, dos diamantes e de toda a destruição atirando para a morte e a miséria todos aqueles que dedicaram toda a sua vida de trabalho em prol da construção, desenvolvimento, das nossas províncias do ultramar.
Este livro é forte, é a desmistificação das mentiras, de toda a falsidade e traição em que mergulharam Portugal e todo o povo.
As minhas felicitações à sua autora, pela sua coragem e por este livro.

Armando Correia disse...

Eu comprei este livro (Longe é a Lua, Memórias de Luanda-Angola) na livraria Bertrand no Colombo Centro Comercial em Lisboa , no dia 19 de Novembro, onde já se encontrava há venda.
Não como está anunciado que passado duas semanas da sua apresentação está há venda, por informação de um amigo que comprou na Fnac no dia 20, também estava há venda no dia 20.

José Alves disse...

Este livro está fantástico, amigo! A sua leitura é feita com emoção, revolta e informação de como ocorreu a famosa "descolonização", tinha conhecimento da guerra, da destruição e a fuga dos portugueses, mas sobre a verdadeira causa (os factos dos acontecimentos), pouco sabia, este livro, denuncia com todas as letras a destruição de Angola, levada pela abrilada, onde o povo não teve direito a participar de uma consulta, para a descolonização. E assim se fez, assassinatos, destruição, guerra e a fuga que foi possível, os apátridas que constam no livro, deviam de serem todos enforcados em praça pública.
Aconselho este livro, escrito por testemunha da famosa "descolonização" a todos.
Um abraço.